Só para Sören Kierkegaard

17-01-2009 15:11

Só para Sören Kierkegaard

 

A brisa fria

Pela luz do poste

Às 23hs

Que ninguém vê

 

As ruas desertas

As casas povoadas

Mini aglomeradas

Cada uma na sua

 

A subjetividade vã

Daquele que passa

Daquele que sente

E daquele que não quer sentir

 

A rotina diária

Da repetição diária

Da redundância proposital

 

O pensamento que vaga

Nas letras do escritor

Que não tem o que escrever

 

Os sentimentos

Os pensamentos

A vontade de não tê-los

 

As filosofias

O esoterismo

A vontade de entendê-los

 

A cadência

Que acaba

Sem causa

Procurar no site

Contacto

Daniel Rumana